ÓCULOS OU LENTES DE CONTATO, O QUE USAR PARA PILOTAR MOTO?

A vida do piloto que precisa de lentes corretivas para guiar uma moto exige mais cuidado e escolher o equipamento ideal é fundamental

Miopia, astigmatismo, hipermetropia. Independentemente de qual problema visual esteja presente na vida de alguém, isso provavelmente exige o uso de lentes corretivas. Para quem pilota motos, é um elemento que requer cuidados, especialmente ao adquirir um capacete. Nem todos os casos clínicos permitem o uso de lentes de contato, o que leva o piloto a utilizar óculos caso a habilitação indique o uso obrigatório de lentes corretivas.

Os capacetes permitem a utilização de qualquer tipo de armação?

A resposta é: não. Entretanto, há uma grande variedade de cascos no mercado que já saem de fábrica preparados para receber as armações – abertos, fechados e até os indicados para a pista. Quem usa lentes pode enfrentar o ressecamento devido ao fluxo de ar que vem por baixo do queixo. Para minimizar a passagem de ar por essa região, parte dos capacetes possui a bavete, parte de tecido que bloqueia o ar que entraria pelo queixo, reduzindo o nível de ruído e o ressecamento.

Os motociclistas que precisam corrigir a visão com lentes sempre têm um incômodo a ser resolvido. Qual a melhor opção do ponto de vista clínico: lentes de contato ou óculos? Óculos ou lentes de contato são boas opções, mas dependem sempre da melhor indicação para o usuário.

Lentes de contato ampliam o campo de visão e permitem melhor visão periférica, principalmente para pessoas que possuem altos graus, porém, o uso e adaptação das lentes de contato devem ser orientados pelo oftalmologista.

Algumas pessoas não conseguem utilizar lentes. No entanto, o capacete atrapalha o uso de óculos, seja pela falta de espaço ou questões referentes a reflexos ou embaçamento das lentes. Recomenda-se que os óculos devem ser anatômicos e ficar firmemente posicionados sem deixar marcas de pressão; observar os pontos de apoio no nariz e nas orelhas. Aros e hastes metálicas não são indicados, pois podem causar ferimentos em caso de acidentes. Verificar se as hastes são compatíveis com o capacete – para isso, é importante testar os óculos tendo o capacete em mãos. Faça movimentos com a cabeça para avaliar se os óculos permanecem no lugar. Existem modelos de óculos específicos para motociclismo, com almofadas em material flexível para maior proteção e conforto.

As lentes de plástico ou orgânicas são ideais por sua leveza e resistência a rachaduras. Podem receber tratamento antirreflexo, anti-embaçamento, proteção contra os raios ultravioleta; podem também receber filtro polarizado que filtra a luz dispersa e os reflexos de superfícies brilhantes, possibilitando mais proteção sob luz solar ofuscante, estrada molhada após chuva, e, aumentam a percepção de cores e contrastes.

Muita gente que usa óculos deixa a viseira do capacete aberta, alegando que os óculos protegem contra o vento. Esta atitude oferece riscos à visão, pois apenas os óculos não oferecem a proteção total, uma vez que partículas ou insetos podem atingir os olhos.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, constitui infração gravíssima pilotar motocicleta sem óculos de proteção e com a viseira aberta. Entende-se óculos de proteção, aquele que permite ao usuário a utilização simultânea de óculos corretivos ou de sol.

O ideal é que o motociclista converse com seu oftalmologista sobre as suas necessidades e melhores opções, que podem ser o uso de óculos, lentes de contato ou cirurgias refrativas – para eliminar a necessidade de correção óptica. O importante é que o motociclista tenha boa visão e segurança.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *